sábado, 2 de fevereiro de 2013

[Resenha #26] O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick


Normalidade, é o que todos queremos passar através de nossa postura na sociedade. Postura, educação, ética, moral. É um acordo velado de que todos precisamos o mínimo requerido deles para ter uma chance na vida em grupo, em bando, em sociedade. Ser normal virou um sinônimo de "ser igual aos demais", faça o que a maioria faz e então você ganhará o direito de ser chamado de normal. Caso contrário, prepare-se para uma árdua batalha. Matthew Quick desbrava o mundo próprio daqueles que enfrentam esse pesado julgamento.Através do olhar de Par Peoples, nós somos apresentados a um afável e aconchegante sentimento de otimismo, mesmo em meio à tormenta. Sempre estar disposto a Ver O Lado Bom Da Vida é uma escolha - uma escolha de poucos.

Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados". Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que "é melhor ser gentil que ter razão" e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez


Somos rapidamente tragados pela chamativa e peculiar maneira com que Pat narra sua vida. É perceptível a fragilidade em cada palavra pensada ou dita pelo protagonista. É bem claro o quão debilitado mentalmente Pat é e é intrigante ver através dos olhos desse tipo de personagem seus próprios julgamentos e percepções. De longe Pat pode parecer apenas um homem completamente surtado e que dificilmente poderá recobrar a estabilidade mental; entretanto, durante as passagens deliciosas de aprendizado que Quick nos entrega, nos surpreendemos ao notar quão coerente são as considerações de Pat.

(MATTHEW QUICK)
A trajetória do livro é suave, não chega a ser parada, mas o dinamismo não é um ponto forte da obra. Esteja preparado também a aprender um pouco mais sobre a vida cotidiana da classe média baixa norte americana; a vida no subúrbio e a paixão pelo futebol americano são profudamente explorados, podendo deixar leitores não muito fãs do esporte um tanto entediados em certas passagens do livro.

Tiffany. Ah, Tiffany. Não posso negar como me apaixonei pela protagonista feminina - o fato dela ser interpretada pela incrível jennifer Lawrence (Jogos Vorazes) na adaptação para os cinemas só foi um ponto positivo a mais - ela simplesmente, quebra, completamente, a tradição do par romântico habitual. Sim, a partir do momento que o leitor é apresentado a Tiffany logo desconfia-se que ela será importante na vida de Pat; mas calma, não é nada como você acha que possa ser, Pat é casado e, bem, Tiffany - de certa forma - também é. Então você delira com a possibilidade de uma possível trama de folhetim Global - tão pouco. A realidade é que a incrível e excêntrica relação de Pat e Tiffany só será compreendida por aqueles que presenciarem cada momento impagável e, de certa forma, cômico que os dois apresentam nas páginas de O Lado Bom da Vida

Ao ler o livro eu tive a impressão de ter sido presenteado com uma continuação de As Vantagens de ser Invisível. Um tão desejado "Como seria?". Como seria a vida adulta de Charlie? As semelhanças com a sensibilidade das personagens é tamanha que até mesmo somos apresentados a uma lista de livros clássicos lidos por Pat durante a sua trajetória durante o "tempo separados". 

Eu, particulamente, adorei ter acompanhado a jornada de Pat. A humanidade de cada personagem é comovente e abre um grande espaço para o leitor se identificar com várias caraterísticas de personagens diferentes. É um livro aparentemente despretensioso, narrando a díficil reinclusão de um homem mentalmente debilitado na sociedade, mas alcança mais do que isso. Deixa ao leitor, em cada página, lições de otimismo;e o mais incrível, todas tiradas de situações comuns e um pouco melancólicas. 

Conferi Ontem a adaptação cinematográfica do livro. Com toda certeza é um filme espetacular, que recomendo a todos os leitores assistirem. Entretanto, aqueles que leram a obra poderão constatar: "O livro é melhor". Apesar de ser uma das grandes promessas do Oscar desse ano, a obra permanece emocionando mais - talvez pelo fato de o leitor se identificar com as loucuras de Pat e Tiffany e enxergar um pedaço de si ali.

A Edição da Intrinseca é espetacular, uma das melhores que já tive há muito tempo. Uma capa bonita e chamativa, mesmo sendo Tie-in (a ilustração da capa é inspirada no filme). Não encontrei nenhum erro durante a minha leitura, provando ter uma ótima revisão. As páginas são amarelas e a diagramação é sóbria. O primeiro 10 do ano em Edição do AdH vai para O Lado Bom da Vida, que com certeza o merece.

O livro nos ensina que a vida é dura sim, ela não costuma proporcionar muitos finais felizes a seus protagonistas. Entretanto, há aqueles que podem, mesmo assim, encontrar uma razão para sorrir, perseverar por uma vitória - mesmo após uma grande derrota. A Obra nos faz lembrar do batido " Perdemos uma batalha, não a guerra", pois é justamente isso que devemos pensar após um dia terrível. Pat encontrou um novo modo de viver uma "normalidade" só sua; onde ser normal é saber que os raios prateados ao redor de uma nuvem escura são a prova de que o Sol está ali - e ele voltará a brilhar.

Título: O Lado Bom da Vida      AutorMatthew Quick  

EditoraIntrínseca

Notas: |Enredo: 08/10 | Edição: 10/10Entusiasmo:10/10| 

10 comentários:

  1. Se já estava louca para ler o livro e assistir o filme, depois dessa resenha a vontade só aumentou. Quero muito... rsrsr
    Grande beijo!

    Camila – Meu Livro Cor-de-Rosa
    http://meulivrocorderosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu vi o filme e confesso que não achei merecedor do Oscar, mas dá para dar váááárias gargalhadas. O filme é muito bom e divertido e imagino que o livro também seja.
    Não deixe de visitar nosso blog! Estamos com promoção de aniversário!!
    http://autoracarolinaribeiro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Fazia um tempinho que não passava aqui, né? :) Assisti ao filme ontem e gostei bastante. Achei que a 'loucura' do Pat e da Tiffany foi muito bem transmitida. Tua resenha ficou muito boa! Espero poder ler o livro em breve.

    Abraços!
    Gabriel.
    www.musicatvetc.com

    ResponderExcluir
  5. Estou super curiosa tanto com o livro e com o filme! Adoro o Bradley e Jenni lawrence e dizem que a adaptação ta boa! adorei a resenha
    Céu de Letras

    ResponderExcluir
  6. Apenas vi o filme e pareceu bom, mas agora com todas essas qualidades acho que vou dar um jeitinho de colocá-lo na minha lista rsrsrs. Boa resenha gostei

    ResponderExcluir
  7. Quero muuuito ler esse livro! Estou com ele aqui já faz um tempinho, mas ainda não tive tempo de começar a leitura.
    Cada resenha que leio me empolga mais *-*

    Beijo
    Mariana | Sem querer me intrometer
    Sorteio O Guia do Mochileiro das Galáxias (5 livros!)

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bom?
    Passando para deixar um comentário rsrs
    Já tenho o livro há um tempinho , e fico muito feliz que tenha
    gostado dele .
    Quero lê-lo logo !
    Beijos*-*
    Território das garotas
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. É... Já vi a capa desse livro tantas vezes na livraria, mas nunca consegui chegar nele pra dar uma olhadinha na sinopse. Porém, hoje que apareço por aqui para falar de um outro assunto, deparo-me com ele e, finalmente, acabo lendo sobre seu conteúdo.

    Estou num dilema... Não estou podendo comprar mais livros no momento, mas este livro tem como tema uma coisa que me atormentou muito na vida.

    Enfim, aproveitando a postagem, gostaria de dizer que, ao ser marcada num desafio literário, vim a escolher O Apanhador de Histórias como um dos blogs a participar da brincadeira também ^_^ Deixo aqui o endereço da postagem explicando a brincadeira: http://amberbladesbibliotecadospovos.blogspot.com.br/2014/01/lancaram-me-um-desafio-xd.html

    ResponderExcluir
  10. Comprei esse livro já tem quase um ano e ainda não li, ele tá lá jogado na minha estante, acho que o fato dele ser um romance deve ser o motivo de eu sempre coloca-lo no final da listas de leituras, porém depois da sua resenha vou dar uma chance pra ele

    Abraços
    des-construindooverbo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir